Header AD

Lights Out ou quem tem medo do escuro



O ser humano tem medo do desconhecido, esse tema, tratado por filósofos, sociólogos, psicólogos, já teve diversas representações nas artes, pinturas, livros e filmes. Podemos associar o desconhecido como a falta de “luz”. Quando um objeto não é “iluminado”, todo tipo de contato com ele é uma descoberta. Não nos restrinjamos apenas aos que os olhos veem. O desconhecido por ser explorado pelas diversas funções de cada um dos sentidos. 

Um temor que provavelmente caminha junto com a raça humana desde sua aurora é o medo do escuro, justamente por não saber qual caminho ir. Lights Out ou Quando as luzes se apagam trabalha justamente com essa questão. O roteiro do filme é simples, poucos personagens, mas há um trabalho dedicado para desenvolvê-los. O filme inicialmente era um curta que ganhou destaque na internet até a Warner comprar os diretos e produzir o longa. O diretor é o mesmo do curta e isso contribui para que o filme mantenha um mesmo sentido e estética do longa, só que mais bem trabalhado e com mais recursos.


Talvez o que mais valha a pena destacar é o trabalho da direção de fotografia e de direção. O filme não é exagerado, ele é bem coerente dentro de sua iluminação, trabalhando bem com a iluminação ou com a falta dela. O trabalho com as sombras é fundamental para o criar o clima do filme e ele passa essa sensação o tempo inteiro, principalmente com as cenas iluminadas com velas. Em relação a direção o filme é muito bem decupado e tem um trabalho muito bom com foco e desfoque e movimentação de câmera, dois pontos de destaque nessa decupagem é um trabalho com camadas de ação muito competente que hora foca em um personagem no primeiro plano e, sem corte, foca no personagem que está o segundo plano, o segundo ponto de destaque é uma transição muito bem-feita em um falso plano sequência, não só uma transição, mas um flashback


O grande receio desse filme era que ele não fosse bem desenvolvido, pois sua história original vinha de um curta-metragem e talvez faltasse algo para desenvolver o longa ou o fizesse de maneira insatisfatória, como diversos curtas que viraram longas. Porém isso não se concretiza, o roteiro do filme é bom, por ter poucos personagens criamos logo de cara empatia por todos, além disso, o longa possui um número muito significativo de jump scare e te prende e dá medo mais pelo que não é mostrado do que pelo que se mostra, trabalhando assim com o constante medo do escuro, não só das personagens quanto dos espectadores. O filme não cansa e tem, talvez, um dos melhores finais de filme de terror que já vi.

----

Thiago Sena
Estudante de cinema formado em Letras. Apaixonado por literatura, poesia, pintura, filmes do Bruce Lee, do Tarantino e do Clint Eastwood. Fã nº1 e consumidor excessivo de Coca-Cola, bacon e planos-sequência. Exímio conhecedor de pastéis.




Lights Out ou quem tem medo do escuro Lights Out ou quem tem medo do escuro Reviewed by Thiago Sena on 8/25/2016 08:43:00 PM Rating: 5

Nenhum comentário