Header AD

Demônio de Neon


O clichê da chegada de uma garota do interior em um grande centro urbano, nesse caso Los Angeles, para tentar alavancar a carreira de modelo, já foi utilizado por diversos filmes de Hollywood ao longo dos anos. O desafio do novo filme de Nicolas Winding Refn, diretor do ótimo Drive (2011) e de Só Deus Perdoa (Only God Forgives 2013), é contar essa mesma história de forma original e cativante.

O filme é iluminado de uma maneira muito bonita, todas as cenas são envolventes nesse sentido, as luzes de neon realmente chamam a atenção. Outra coisa que é perceptiva é o gosto do diretor por filmar cenas em corredores, são cenas muito bem executadas e que você se pega pensando, que plano ou cena bonita. Além disso, o uso do recurso de filmar uma pessoa através do reflexo no espelho é usado constantemente no filme, o que dá uma sensação dúbia, se o que estamos vendo é realmente a ação da personagem ou apenas um reflexo de sua personalidade.


O filme tem um enorme problema de ritmo, talvez tenha ficado maior do que realmente seria necessário. Podemos pensar ele em dois momentos, o primeiro, no qual a personagem se envolve no mundo da moda e em como ele pode ser cruel para aquelas que não se encaixam no padrão das grandes agências de moda, e a segunda parte em um thriller muito interessante de vingança e assassinato. Essa última parte é a que mais empolga do filme.

As atuações também são um espetáculo à parte, o filme não se preocupa em construir personagens moralmente memoráveis, pelo contrário, faz questão de mostrar como alguns podem ser bem escrotos, não há um julgamento do diretor aqui, as personagens são realmente como são, temos menção a pedofilia, a necrofilia e ao canibalismo, o filme em si é muito escatológico. O elenco parece bem em seus papéis, as atuações de alguns são bem sólidas e instigam o público a saber o que acontece no final.


Demônio de Neon seguramente não é o melhor filme do diretor, Drive, por exemplo, é um filme muito mais redondo e completo nesse sentido, mas sem dúvida faz jus a sua cinematografia. É um filme envolvente, com bons personagens e com uma cena de vingança muito boa, mas poderia ter, pelo menos, uns 20 minutos a menos.

----

Thiago Sena
Estudante de cinema formado em Letras. Apaixonado por literatura, poesia, pintura, filmes do Bruce Lee, do Tarantino e do Clint Eastwood. Fã nº1 e consumidor excessivo de Coca-Cola, bacon e planos-sequência. Exímio conhecedor de pastéis.
Demônio de Neon Demônio de Neon Reviewed by Thiago Sena on 10/25/2016 07:37:00 PM Rating: 5

Um comentário

  1. Achei o filme muito lindo, porém desnecessário aquele olho no final. O Only God Forgives também é muito bom, passei a apreciar as obras do diretor e já estou no aguardo para a próxima.

    ResponderExcluir